Homens devem abandonar medos e realizar exames preventivos, alertam médicos da Vida

No Dia Nacional do Homem, celebrado no Brasil em 15 de julho, especialistas da Clínica Vida Diagnóstico e Saúde alertam que muitos homens ainda são resistentes à realização de exames preventivos.

O urologista Newton Tafuri cita como exemplo o temor em relação ao exame de próstata, que deve ser feito periodicamente a partir dos 50 anos. “Há aqueles que se colocam como super-heróis, provedores da casa, acima de todos os males e enxergo esse fator mais como cultural”.

No Brasil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). É considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.

De acordo com o Dr. Newton, a maioria dos cânceres de próstata cresce lentamente e não causa sintomas no início, mas tumores em estágio mais avançado podem causar dificuldades para urinar, sensação de não conseguir esvaziar completamente a bexiga, presença de sangue na urina e, em alguns casos, dor óssea na região das costas.

O especialista observa, no entanto, que há outros problemas que afetam a saúde do homem e que merecem a mesma atenção, como a diabetes mellitus, doenças hepáticas e vasculares, pneumonia, câncer de pulmão e de pele. “Então, é importante que os homens tenham uma boa alimentação, façam exercícios físicos com regularidade e evitem os excessos, além de manter uma rotina de exames preventivos”, completa.

Câncer de pulmão

O Inca também aponta que o câncer de pulmão é o segundo mais comum no Brasil e acomete mais homens do que mulheres. É o tumor mais comum no mundo desde 1985, tanto em incidência quanto em mortalidade. A última estimativa mundial (2012) apontou incidência de 1,8 milhão de casos novos, sendo 1,24 milhão em homens e 583 mil em mulheres.

O pneumologista Clóvis Botelho lembra que este quadro ainda é resultado do alto índice de tabagismo de décadas atrás. “Isso porque o câncer demora esse período para se manifestar”.

O sintoma mais prevalente é a tosse crônica, que o paciente costuma a justificar como tosse do cigarro. O paciente só procura o médico quando aparece sangue no cigarro. “A melhor medida é não fumar, não iniciar o tabagismo, ou então deixar o hábito antes das complicações”.

Câncer de colorretal

Já o coloproctologista Mardem Machado, alerta sobre o câncer de cólon, que geralmente não apresenta sintomas na fase inicial. De acordo com o especialista, geralmente os sintomas são mínimos ou inexistem no início da doença, quando os resultados do tratamento seriam melhores.

“Por isso é recomendado o rastreamento a partir dos 50 anos e a partir dos 30 para pessoas com casos de câncer na família”, orienta o especialista.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Fale Conosco