facebook TWITTER PRINTER gplus

Segunda-Feira, 07 de Outubro de 2019, 15h:51 | -A | +A

OUTUBRO ROSA

Mamografia periódica e autoexame devem fazer parte da rotina da mulher

A recomendação é que a partir dos 40 anos a mulher faça mamografia anualmente, mas também deve fazer autoexame de rotina

Priscila Russo

Priscila Russo

Marília Saar, hoje com 49 anos, descobriu que tinha câncer de mama em 2001. Ela notou o nódulo ao fazer um autoexame e resolveu procurar um médico. O câncer foi confirmado pelos exames de mamografia e ultrassonografia. Marília Sofreu uma intervenção para retirada do tumor, denominada quadrante, fez 9 meses de quimioterapia e 29 sessões de radioterapia. 

Até hoje Marília segue firme fazendo tratamento do linfedema, que ocorre em mulheres que tiveram os nódulos linfáticos removidos durante a cirurgia ou que receberam radioterapia na área dos nódulos linfáticos. Aproximadamente uma em cada cinco mulheres com câncer de mama terá linfedema.

Os exames periódicos, ou check-up, segundo o médico de família Dr. Germano Alves Pacheco, são extremamente importantes para a detecção do câncer de mama, além do autoexame.

Dr. Germano fez várias orientações durante a palestra “A saúde da família no acompanhamento do câncer de mama do diagnóstico ao tratamento”, realizada na Vida Diagnóstico e Saúde, em Várzea Grande. A atividade fez parte do clico de palestras “Prevenir é o segredo” dentro da programação da clínica para o Outubro Rosa. Clique AQUI e confira as fotos da palestra.

Priscila Russo

Marília Saar - Outubro Rosa

Marília Saar descobriu o câncer de mama em 2001

Alguns sintomas, explicou o médico, podem ser percebidos facilmente pela mulher, em casa mesmo, como nódulo único endurecido, abaulamento de uma parte da mama, inchaço e vermelhidão da pele. Também pode ocorrer inversão do mamilo e sensação de massa ou nódulo em uma das mamas.

“Após observar algumas dessas características, é recomendada a realização da mamografia, que em alguns casos poderá ser complementada por ultrassonografia ou ressonância magnética de mamas. O diagnóstico é confirmado a partir de biópsias da lesão. Observe o bico do peito; superfície; o contorno das mamas. Levantar os braços, observando se os movimentos alteram o contorno das mamas”, orientou.

A mulher ainda pode ficar deitada e, com a mão esquerda, apalpar a mama direita, fazendo movimentos circulares, observando se há alguma anormalidade, repetindo esses exercícios no lado direito também.

Sobre as formas de se prevenir contra a doença, o médico orienta a realização de exames clínicos anuais das mamas por um profissional de saúde, mamografia anual ou bianual a partir dos 40 anos. Para pacientes com história familiar positiva de câncer, o rastreamento deve ser feito de forma precoce.

A idade é um dos fatores de risco mais importantes para o desenvolvimento da doença. Além disso, existem outros fatores ambientais e comportamentais, como obesidade e sobrepeso após menopausa, sedentarismo (falta de exercícios), consumo de bebidas alcoólicas e exposição frequente a radiações ionizantes, que facilitam o surgimento da enfermidade”.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células mamárias, que se multiplicam formando o tumor. A cada 100 casos, 99 são do sexo feminino e apenas 1 do sexo masculino.

Outubro Rosa

A campanha internacional Outubro Rosa, criada na década de 1990 pela fundação Susan G. Komen for the Cure, nos Estados Unidos, tem como objetivo a prevenção e conscientização da população sobre o câncer de mama. Em 2002 chegou ao Brasil, sendo realizada em todos os estados brasileiros.

Em Mato Grosso, segundo dados divulgados pela Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado e Saúde (SES-MT), em 2019 foram registradas 102 mortes em decorrência da doença. De janeiro a outubro (dia 04) deste ano, foram diagnosticados 121 novos casos, que posteriormente deram início ao tratamento.

Ainda segundo a SES, no período de janeiro a junho de 2019, foram realizados 8.386 exames de mamografia, sendo destes, 4.958 na Grande Cuiabá e os demais na região do rio Teles Pires.

 

facebook TWITTER PRINTER gplus